30.11.09

God.

Antigamente eu costumava acreditar em Deus. Costumava acreditar, mais pela ideia de medo que a minha avó me incutia do que por outra coisa. Costumava simpatizar com os ideais, com o sentimento de comunidade. Quando o meu avô morreu pode-se dizer que foi o meu pico de religiosidade – rezar, missas aqui e ali, basicamente the whole package. Antigamente, algumas coisas eram mais claras e outras definitivamente mais distorcidas, encobertas no pesado nevoeiro. Antigamente, porém, já lá vai.
Se eu (se a maior parte das pessoas que se julgam crentes em Deus) pensasse nele apenas quando algo de bom acontecesse, poderia considerar-me crente. Se Deus existisse, eu sabê-lo-ia no meu íntimo – e para ser franca nunca existe mais convencida da sua não existência. Não digo que não exista – até pode existir – mas não peçam para ter fé em algo tão irreal. Eu tenho fé nas pessoas, aquelas que lutam todos os dias por mais um dia de vida, e ao menos essas, por pouco que façam no dia-a-dia, sempre são mais reais que Deus.
É difícil acreditar. Ultimamente é tudo tão difícil – acreditar, sonhar, esperar. Só não é difícil chorar e voar. Voar como um pequeno pássaro no seu primeiro voo inocente que não sabe melhor. Eu quero voar, voar mais alto, para longe. Mas e as pessoas? As que ficam cá em baixo, do tamanho de formigas, a ver-me voar – o que vão elas dizer, pensar, sentir?
Eu não acredito em Deus, nem agora e provavelmente nem no futuro próximo, mas se acreditasse pedia-lhe para me dar uma oportunidade, deixar-me voar independentemente de quem fica. Com esses já sofri o suficiente, agora falta deixar as lágrimas cair nas ondas que sobrevoo, preparar-me para enfrentar uma nova fase, uma nova folha em branco, um novo céu azul que não sabe de onde venho, quem fui (e nada lhe interessa) e aguarda para onde vou, quem quero ser.

Um comentário:

Carolina disse...

desculpa ter passado tanto tempo e não te ter respondido.
muito obrigada por tudo (:
não sei é cedo demais, ainda estou no décimo ano, quando começaste a "frequentar" este site?
sobre o post, eu acredito que Deus criou o mundo e gosto de ir à igreja e das histórias e tudo isso. Mas como é que hei-de dizer... As pessoas acham que quando acontece algo, foi Deus que quis. Eu acho que não, Deus deu-nos um mundo e ponto final. A partir daí, as consequências fomos nós que as provocamos.
é verdade, vi que participaste no nanowrimo. conseguiste acabar? :D